Comunicação Turística
17-06-2016

O turismo e as novas regras da comunicação

LUÍS PAULO RODRIGUES *

As viagens e a comunicação se integram. A democratização da Internet e a conexão das pessoas em redes de troca e partilha de informação trouxeram novos desafios ao tradicional agente de viagens.

Antigamente, o destino das férias era escolhido tendo em conta a opinião do agente de viagens, que assim condicionava as escolhas. Agora, o turista do século 21 – ou da sociedade da informação e do conhecimento –, que segue a pauta dos meios de comunicação e está na rede, planeja suas férias ou visitas turísticas e pode inclusive fazer tudo online: escolher o destino, a hospedagem e comprar a passagem aérea.

É um mundo novo, desafiante para o agente de viagens e para as organizações de promoção turística de países e cidades.

Um destino de férias, para ser escolhido, precisa ser conhecido. Para isso, tem de divulgar suas características e seu diferencial, indo ao encontro dos potenciais turistas, de forma espontânea, comunicando-se diretamente com eles.

Como afirma Philip Kotler, professor norte-americano e um dos principais nomes do marketing atual, as cidades são produtos cujos valores e identidades “devem ser planejados e promovidos” para evitar a estagnação e o declínio.

Num mundo global e competitivo, a comunicação de um território, focalizada nos seus recursos culturais, turísticos e econômicos, fortalece os laços de coesão e motivação internas e define a percepção pública que os “stakeholders” (interessados) e o público externo podem ter sobre esse território.

A comunicação é a ferramenta disponível para facilitar e promover a captação de moradores, turistas e investidores – uma tríade fundamental para um lugar sustentável e em desenvolvimento constante.

Da Europa e da América do Norte já chegaram ao Brasil exemplos de comunicação internacional, tendo em conta o potencial da comunicação digital. No Facebook, por exemplo, o governo da França criou a página Turismo na França, escrita em português, com 186 mil seguidores, que promove a cultura e os lugares franceses junto aos potenciais turistas brasileiros, indo ao encontro deles, falando com eles de modo regionalizado, ou seja, como se fosse uma comunicação de brasileiros para brasileiros, criando vínculos e cumplicidades.

As autoridades de turismo dos Estados Unidos fizeram o mesmo, com a página Descubra os Estados Unidos da América, seguida por 3,4 milhões de pessoas. Eles já compreenderam as novas regras da comunicação. Vão diretamente ao consumidor.

*) Texto publicado na "Viagens SA" (São Paulo), revista brasileira especializada em turismo, nº 27, página 52, Abril de 2014; Consulte a edição impressa aqui: http://bit.ly/1jcECE7.
VOLTAR